Programa pioneiro em Sergipe da Prefeitura de Indiaroba e Sebrae possibilita certificação de produção orgânica

Foi destaque no programa Bons Negócios, da TV Atalaia, uma parceria do Sebrae com a Prefeitura de Indiaroba que é pioneira em Sergipe. Trata-se da certificação em produção orgânica de produtores rurais do município do Sul de Sergipe.

A equipe de reportagem do programa visitou uma plantação de laranja, tangerina, coco, caju e banana sem a utilização de adubo industrializado e agrotóxicos industrializados no assentamento Joélia Lima. Segundo o produtor rural Alcivan Alves, a plantação bio-orgânica melhora a qualidade do solo. “Assim podemos cultivar diversas frutas”, comemorou. “E ganhamos uma abertura de mercado com os produtos agrícolas certificados”.

A Prefeitura de Indiaroba custeou a parte de consultoria. De acordo com o prefeito Adinaldo Nascimento, “é um investimento que beneficia o produtor e o consumidor e no futuro produzirá efeitos positivos para a saúde da população local. Alimento saudável é essencial e a bio certificação garante mercados para os agricultores. E neste sentido a parceria com o Seabre está sendo fundamental para a agricultura em Indiaroba atingir outro patamar”, celebrou.

Já no assentamento Cinco de Janeiro são cultivadas 25 espécies de hortaliças, verduras e tubérculos. A produção é comercializada na Feira de Indiaroba e também para comerciantes que revendem os produtos em outras cidades.

Segundo o produtor rural Carlos Silva, o agrotóxico é muito prejudicial à saúde e à natureza. “Com a experiência bio-orgânica nós produzimos o adubo. E também adotamos sistemas de mutirões para a manutenção dos lotes”, atestou.

De acordo com Luciana Oliveira, técnica do Sebrae, antes desta experiência os produtores que pleiteavam certificado de produtos orgânicos tinham que solicitar auditoria e arcar com custos. Há também a opção da certificação via Organizações de Controle Social (OCS), que limita o escoamento da produção porque nesta modalidade a entrega só pode ser realizada diretamente ao consumidor. “Já o sistema bio participativo garante a certificação e todo o processo é realizado em parceria com os agricultores”, afirmou.

Ela também ressaltou que anualmente o Ministério da Agricultura faz uma visita anual para conferir se o processo de produção atende a Lei dos Orgânicos (Lei 10.831/03).

 

 

Scroll to top
Skip to content